Uma viagem de carro pela Borgonha. Parte final #5

 

Borgonha Uma viagem de vinhos e sonhos.

Este é o post final de nossa viagem pela Borgonha, resumo do que vimos e vivemos, bem como atualização dos posts anteriores sobre a região.

A Borgonha é uma das regiões mais encantadoras da Europa. A região combina uma beleza única com vinicultura, gastronomia e arquitetura medieval. Antes mesmo da França ser cristã, a Borgonha era um rico Ducado amplamente conhecido por sua vocação vinícola. A Borgonha não é apenas uma região, mas um conjunto de regiões.

Começamos saindo de Paris em direção a Dijon. A maior parte da Borgonha é denominada Côte D’Or e está dividida em duas sub-regiões: Côte Nuits e Côte Beaune.

Nossa primeira parada foi em Cotê Nuits na cidade de Gilly-lès-Cîteaux, um pouco ao sul de Dijon, perto da cidade de Nuits St-Georges. Esta é a região divisa entre duas denominações ou AOC: a Vougeot e a Chambolle-Musigny. São cerca de 30 diferentes AOCs no Côte D’Or. Os vinhedos e as denominações de origem se apertam em pequenas frações de terra, em menos de 500 metros tem um novo vinhedo. Foi assim, sem querer, dirigindo até a cidade de Nuits St-Georges que encontramos o Romanèe Conti, o vinhedo mais valorizado do mundo. Pena que estava fechado e o dia estava bastante nublado.

Mais ao sul chegamos a Beaune, onde passamos todo o dia e visitamos o maravilhoso Hospices de Beaune, uma instituição de caridade fundada em 1443 por Nicolas Rolin, chanceler do duque de Borgonha e de sua esposa Guigone Salins e que até 1984 ainda atendia pessoas carentes. Este lugar maravilhoso, tão bem cuidado, já valeu a visita a Beaune, uma cidade linda e minúscula.

Para os viajantes, valem as seguintes dicas. A região da Borgonha merece de 2 a 3 dias de passeio. As cidades-vilas, assim como os vinhedos, são minúsculos e colados um ao outro. É uma região agrícola, nada moderno e com muita natureza. As estradas são apertadas de mão dupla, tenha cautela.

borgonha todos

Como é muito difícil escolher os vinhos da Borgonha, pois são dezenas de denominações e centenas de produtores, coloco aqui os anos das melhores safras:
Tinto: 2010, 2009, 2008, 2005, 1999, 1993 e 1990.
Branco: 2008 e 2007. (achou que são poucos anos? É que segundo os críticos, os demais anos da década são uma espécie de loteria, em função d oxidação nas garrafas.

Veja no Mapa Abaixo os detalhes das denominações de origem da Borgonha.

borgonha mapa

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More