Uma viagem de carro pela Borgonha. Parte final #5

 

Borgonha Uma viagem de vinhos e sonhos.

Este é o post final de nossa viagem pela Borgonha, resumo do que vimos e vivemos, bem como atualização dos posts anteriores sobre a região.

A Borgonha é uma das regiões mais encantadoras da Europa. A região combina uma beleza única com vinicultura, gastronomia e arquitetura medieval. Antes mesmo da França ser cristã, a Borgonha era um rico Ducado amplamente conhecido por sua vocação vinícola. A Borgonha não é apenas uma região, mas um conjunto de regiões.

Começamos saindo de Paris em direção a Dijon. A maior parte da Borgonha é denominada Côte D’Or e está dividida em duas sub-regiões: Côte Nuits e Côte Beaune.

Nossa primeira parada foi em Cotê Nuits na cidade de Gilly-lès-Cîteaux, um pouco ao sul de Dijon, perto da cidade de Nuits St-Georges. Esta é a região divisa entre duas denominações ou AOC: a Vougeot e a Chambolle-Musigny. São cerca de 30 diferentes AOCs no Côte D’Or. Os vinhedos e as denominações de origem se apertam em pequenas frações de terra, em menos de 500 metros tem um novo vinhedo. Foi assim, sem querer, dirigindo até a cidade de Nuits St-Georges que encontramos o Romanèe Conti, o vinhedo mais valorizado do mundo. Pena que estava fechado e o dia estava bastante nublado.

Mais ao sul chegamos a Beaune, onde passamos todo o dia e visitamos o maravilhoso Hospices de Beaune, uma instituição de caridade fundada em 1443 por Nicolas Rolin, chanceler do duque de Borgonha e de sua esposa Guigone Salins e que até 1984 ainda atendia pessoas carentes. Este lugar maravilhoso, tão bem cuidado, já valeu a visita a Beaune, uma cidade linda e minúscula.

Para os viajantes, valem as seguintes dicas. A região da Borgonha merece de 2 a 3 dias de passeio. As cidades-vilas, assim como os vinhedos, são minúsculos e colados um ao outro. É uma região agrícola, nada moderno e com muita natureza. As estradas são apertadas de mão dupla, tenha cautela.

borgonha todos

Como é muito difícil escolher os vinhos da Borgonha, pois são dezenas de denominações e centenas de produtores, coloco aqui os anos das melhores safras:
Tinto: 2010, 2009, 2008, 2005, 1999, 1993 e 1990.
Branco: 2008 e 2007. (achou que são poucos anos? É que segundo os críticos, os demais anos da década são uma espécie de loteria, em função d oxidação nas garrafas.

Veja no Mapa Abaixo os detalhes das denominações de origem da Borgonha.

borgonha mapa

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.