shutterstock_108990056

A Nova Zelândia possui uma moderna industria vinícola e conseguiu um espaço no mercado mundial, sobretudo com seus Sauvignon Blancs que nas terras frias da Nova Zelândia atingem grande complexidade aromática. Os Chardonnays Neo-Zelandeses também chamam atenção por sua acidez e perfume, equilibrados pela maturação em carvalho. Tem ainda conseguido bons resultados com a Cabernet Sauvignon, associadas a Merlot, aproximando seus resultados aos vinhos de Bordeaux.

O início da vinicultura na Nova Zelândia está associado a colonização europeia no século XIX. Mas as melhores práticas começaram a ser implantadas nos anos 1970 e apenas em 1989 os vinhos atingiram as prateleiras dos supermercados com a liberação da venda de bebidas alcoólicas nestes pontos.

Vamos conhecer um pouco mais das principais áreas de produção.

Ilha Norte: 75% da produção vinícola do país está neste local, mais precisamente na porção sul da ilha.

A região de Auckland é a mais antiga área de produção vinícola, mas seu clima chuvoso e solo argiloso não favorecem a vinha e hoje apenas 7% da produção é feita neste local.

Hawke’s Bay: no lado leste da Ilha Norte, tem conseguido excelentes resultados pela grande insolação e baixa quantidade de chuvas. A uva amadurece muito bem, mas existem riscos de geadas e não é raro que os vinhedos sejam envelopados. Nesta região se produz os melhores tintos do país com Cabernet Sauvignon.

Wairarapa: Fica no extremo sul da Ilha Norte e traz o nome do grande Lago da região. Aqui se produz bons Pinot Noirs e cepas brancas como Sauvignon Blanc e Chardonnay.

Marlborough: Ao norte da Ilha Sul, tem se destacado pela produção de Pinot Noir.

Localizei um mapa excelente das regiões vinícolas da Nova Zelândia, que estão em um blog que vale a pena conhecer: WINE WINE WINE

Clique na imagem e conheça melhor o mapa e o Blog WINE WINE WINE.

A pesquisa deste post foi realizada no livro Larousse do Vinho.

 

0

Comentários não disponíveis.