Ao decidir por um vinho, lembre-se: preço alto não garante satisfação.

0 No tags Permalink 0

Em um almoço com 5 grandes amigos no restaurante Trindade em São Paulo, tivemos a oportunidade de experimentar dois renomados vinhos Portugueses.

O primeiro vinho foi o Alentejano Monte da Penha Reserva 2003, escolha do Manuk. Todos adoraram o vinho, pois ele é de meio corpo, com um belo aroma de frutas vermelhas e carvalho, um sabor de groselha e final com chocolate preto. Reparei ainda que o finalzinho da taça nos dá um claro aroma de couro. A história da propriedade Monte da Penha já foi escrita aqui no blog. O vinho é preparado com 55% Trincadeira, 25% Aragonês, 25% Alicante, 18% Bouschet e 2% Moreto.

Para que esse post faça sentido, preciso registrar que o restaurante coboru 180 Reais pela garrafa.

Monte da Penha Reserva 2003

Como o almoço corria animado resolvemos pedir um outro vinho. Foi difícil escolher, porque já conhecíamos os vinhos de preço razoável e gostaríamos de experimentar um novo. Depois de muito debate entre os amigos, que inclusive aborreceu as amigas, optamos pelo Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo 2007, um Douro com um preço fora do tom: R$ 350.

A Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo tem 120 anos de tradição e o alto preço nos deu a esperança de que ali seríamos mais felizes. Além disso tivemos a indicação do Somelier.

Bem o vinho é um blend de Tinta Roriz, Tinta Amarela, Touriga Franca e Touriga Nacional. envelhecido por 17 meses em barricas de carvalho. O vinho é poderoso, encorpado, com aromas super vivos de frutas negras e madeira, taninos doces, mas…. Meus amigos, fomos muito mais felizes com o Monte da Penha Reserva 2003. Mas essa preferência não vem das qualidades dos vinhos e sim do fato do Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo 2007 estar muito fechado, muito encorpado, na verdade muito, muito novo. Erramos em pedir um vinho tão jovem e tão caro. Não foi um desastre, eu não desrecomendo esse vinho, pelo contrario, mas o Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo 2007 precisa de tempo, no mínimo precisa de tempo de decanter.

Mesmo desconsiderando a idade dos dois vinhos, ainda refletimos sobre as duas escolhas e para todos ficou claro que o Alentejano Monte da Penha Reserva 2003, pelos preços cobrados, é uma compra muito mais inteligente e feliz que o Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo 2007.

A moral da história é que o preço não diz nada mais nada menos além do vinho ser caro, justo ou barato. Preço não é garantia da sua satisfação.

Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo Reserva 2007

0

Não há comentários

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *