Como surgiu a Rolha de Cortiça?

4 , Permalink 0

Nossos amigos Raul e Joel, do blog português Do nariz à Boca, enviaram este post sobre o surgimento das rolhas:

As rolhas eram apenas utilizadas durante os poucos minutos que separavam a barrica da mesa. As garrafas de então eram sopradas com a boca e a calibragem do gargalo nunca ficava certa. Razão pela qual eram tapadas com uma rolha de cortiça de forma crónica, que se adaptasse a todos os diâmetros. Todavia, na altura, usava-se mais a rolha de tecido embebida em azeite. Tecido ou cortiça, a rolha raramente vedava bem. Por isso se deitava uma fina camada de azeite sobre o vinho, para evitar a oxidação; dessa prática, herdamos o costume de deitar os primeiros centímetros da garrafa num copo, antes de a servir aos convidados.
A rolha de cortiça, só se torna corrente no início do século XVIII. Nessa época, as rolhas eram cortadas uma a uma, com uma faca bem afiada (um bom operário podia produzir até 2.000 rolhas por dia!), o que nos faz hesitar quanto à garantia de estanquicidade do produto. A partir desta altura, as rolhas evoluíram até chegar às rolhas que vemos nos nossos vinhos.

Se você quiser conhecer mais sobre a cultura do vinho, visite Do nariz à Boca,

O vinho é uma bebida com cultura milenar, onde os estilo e rituais fazem parte de seu prazer. Por este e outros motivos é que acho bizarras as inovações do tipo embalagem Tetrapack.

0
4 Comments
  • JERO PRADO
    agosto 6, 2009

    OLÁ BOA TARDE.
    MEU NOME É JERO PRADO.
    O MOTIVO DESSE MEU CONTATO É QUE EU ESTOU ENGARRAFANDO UMA CACHAÇA ARTESANAL, MAS PRECISO DE EMBALANGES, GARRAFAS DE VIDRO COM TAMPAS DE CORTIÇA.
    AGUARDO UM CONTATO.
    DESDE JÁ AGRADEÇO.

    • Paulo
      agosto 6, 2009

      Jero,
      Acho que há aqui um engano. Esse é apenas um blog de vinho, um lugar de diversão. Nada é comercial por aqui.
      Abraços

  • Alessandro
    Janeiro 26, 2010

    Vamos preservar as rolhas
    http://ongdarolha.webnode.com.pt/

    Alessandro

  • Paulo Queiroz
    novembro 23, 2010

    Garcia, Muito legal.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *