Uma viagem pela amada Toscana

0 No tags Permalink 0

Que delícia escrever este post.

Foi surpreendente notar que depois de 1 ano e 4 meses de blog eu não havia feito um post completo sobre essa região que tanto admiro. Podemos dizer que a região vinícola da Toscana divide-se em duas grandes partes: A primeira na costa do mar Tirreno desde a região da cidade de Livorno, até a divisa com Lazio. A segunda área compreende as colinas entre as províncias de Florença e Siena.

Regiões da Toscana

As regiões produtoras são divididas em DOCs, com regras específicas de produção e quem não as segue deve usar a denominação IGT.

A região da cidade de Lucca tem melhorado sua qualidade nos últimos anos, aqui a DOC principal é a Colline Lucchesi, que produz tintos com a Sangiovese, detaque para a Tenuta di Valgiana. Existe ainda a DOC Montecarlo que produz um branco encompardo com a Trebbiano e cepas francesas vindas para a região em 1820.

Colline Pisane é a principal DOC da região de Pisa, produzindo tintos com a Sangiovese e a uva Ciliegiolo. Cabernet Sauvignon e Merlot se adaptaram bem a esta região.

Bolgheri é um distrito que se desenvolveu a partir da Tenuta San Guido, produtora do Sassicaia e hoje possui propriedades aristocráticas produzindo vinhos esplêndidos. Clique aqui e veja um mapa com as principais Tenutas da Região. Aqui as cepas francesas encontraram excelentes condições de terroir, criando vinhos muito elegantes. Meus vinhos prediletos vem desta região.

Maremma compreende as colinas costeiras da provîncia de Grosseto. As colinas mais distantes da costa foram chamadas de Califórnia Italiana. Esta região reuniu grandes nomes da vinicultura italiana e produz os chamados vinhos de Boutique, fantásticos. A exclusividade dos vinhos de Maremma faz com que sejam um objeto de desejo.

Castiglione della Pescaia, Maremma

Nas colinas Centrais entre Florença e Siena existem várias regiões produtoras. Carmignado é uma minúscula região..

Chianti Classico: Chianti é o nome da região que abrange as colinas entre Florença e Siena. Chianti Classico é a DOC ícone dessa região, com foco nas cidades de Radda, Gaiole e Castellina. A Sangiovese  é usada com pequena proporção de Canaiolo. Chianti é a alma da Toscana, vinhos interessantes muito vivos, saborosos, com muita fruta, alguns com toque de framboesa. Eu acho que quem não gosta de Chianti, bom sujeito não é. A história de Chianti e do Galo Negro, seu símbolo, você precisa ler  em: Chianti, a lenda do Galo Negro.

Uma das regiões mais importantes e valorizadas na Toscana é a do Brunello di Montalcino, veja o relato do Estácio que viajou até lá.

A última sub-região da Toscana que vale a pena retratar é a do Vino Nobile de Montepulciano  Produzidos na cidade de Montepulciano, para variar a base de Sangiovese, para alguns elitistas, o Vino Nobili de Montalcino é uma alternativa mais acessível aos Brunellos, mas na verdade essa é uma DOC bem interessante, com vinhos um tanto ásperos, vivos e vibrantes.

Apesar desta ser a única região produtora do mundo que conheço bem, muitas das infos desse post tiveram como fonte o Livro Vinhos do Mundo Todo, Guia Ilustrado Zahar.

_______________________________________________________________________

Comentarios recebidos em 2010 na versão original deste blog.

Paulo Queiroz


Rodrigo Mazzei

Paulo Queiroz

Rodrigo Mazzei

Joel


Paulo Queiroz

Claudio Santos

Paulo Queiroz

GIOVANNI

Paulo Queiroz

Rachel Silviano Bran

Paulo

Larissa Moschetta

Paulo

peter wolffenbü


0

Não há comentários

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *