Almoço com vinho português, sem relógio.

Hoje fui a um almoço com vinho português daqueles raros e inesquecíveis. O Marcelo ofereceu o almoço e estavam, além dele, Carlos, Buda, Sergio, Monica, Cynthia, Alcir e eu. Aconteceu no magnífico Bela Sintra em São Paulo. Cheguei um pouco atrasado e todos estavam a escolher os pratos e a beber um Pêra Manca branco. O Sergio como sempre reclamava que só bebe vinho tinto. O Alcir foi logo passando a carta e pedindo para eu escolher. Fiquei sem graça porque na verdade o dono do evento era o Marcelo. Mas como houve consentimento, fui adiante. Esta foi uma das vezes que errei na composição dos vinhos, pois escolhi um Post Scriptum 2004 e coloquei na sequência o Herdade do Grou Reserva 2006. Explico:

v_PostS2002
POST SCRIPTUM

O Post Spriptum estava muito agradável, perfumado e macio, mas senti que o pessoal não se emocionou muito. Enquanto isso, terminamos de escolher os pratos, a maioria pediu Arroz de Pato, eu pedi Bacalhau Nunca Chega e a Cynthia, que não bebia nada, pediu camarões.

Logo no início do almoço propriamente dito, chegou o Herdade do Grou que estava no decanter. Todos ficaram maravilhados e começaram a rir, dizendo que o Grou destruiu o Post Scriptum. Não foi nada disso, o Post Scriptum é um vinho muito bom, fino, sofisticado, mas o Grou é super potente, um vinho de guarda que estava muito jovem e portanto agredia muito mais o paladar de todos. Tinha um forte aroma de especiarias e café, taninos vigorosos e na boca parecia uma orquestra de sabores de frutas maduras. E foi exatamente aí que eu errei. Não conhecia o Grou e subestimei sua potencia, ele nunca poderia seguir o Post Scriptum. Para me redimir, pedi uma segunda garrafa do Grou.

Vinho português a parte, esta turma reúne o que há de melhor em alto astral, inteligência e boa conversa. Preciso estar mais com eles. Obrigado Marcelo, Obrigado a todos.

Espetacular Alentejano
Espetacular Alentejano
3 Comentários
  1. Paulo Diz

    Em tempo, Herdade do Grou é um blend de Alicante Bouschet, Syrah e Touriga Nacional. Envelhece por 12 meses em barricas de carvalho novas.
    Post Scriptum é um vinho do Douro, produzido pela Prats & Symington, blend de Touriga Franca, Touriga Nacional e Tinta Roriz. Passa por 8 meses em barricas de carvalho francês.

  2. Buda Diz

    Paulão,

    Realmente o almoço estava maravilho, alto astral como sempre, rodeado de amigos querido.
    Precisamos sempre, pois é muito bom estar ao lado de pessoas encantadoras e principalmente apaixonadas e felizes.
    Quanto aos vinho, você sabe da minha da adoração pelos protugueses e estava tudo certo e correto, pois se tivessemos invertido as garrafas, garanto que haveria um ar de frustração.
    Prefiro sempre o encerramento em grande estilo e marcante.

    Precisamos agora ir ao ICi Bistrô, mas o Alcir é um furão.

    Abs,

    Buda

  3. Luis Bento Diz

    Se você conheceu agora o 'Grou' vai querer conhecer um outro mais ou menos difícil de encontrar: 'Serros da Mina' tinto 2005 produzido pela Sociedade Agro Pecuária do Oeste Alentejano.
    'Serros da Mina' é da região do Alvito (produzido na Herdade das Barras) num mix de castas Aragonez, Trincadeira, Syrah, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon que depois de estagiar 12 meses em cuba inox e madeira de carvalho conferem um néctar de 14,5º… Absolutamente delicioso.
    Acho que na área de S.Paulo ele estará disponível num restaurante também português, o 'Ora Pois!' na Vila Madalena.
    Abarço desde Lisboa.
    LB

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More