Quantas garrafas devo ter na adega?

Esta é uma questão que inquieta a muitos, inclusive a mim. Cheguei a conclusão que cada um de nós deve encontrar a própria resposta, pois depende muito do seu propósito com o vinho, o grau de seu consumo de vinhos e mesmo seu gosto pessoal.

Veja meu caso, por exemplo, nos dias de hoje mantenho menos de 50 garrafas. Para falar a verdade tenho apenas uma pequena adega climatizada para 40 garrafas, mas ela está vazia. Guardo tudo em uma outra adega sem refrigeração. Isso ocorre porque adoro comprar vinho todos os meses e essa é uma das formas de criar conteúdo para o blog. Tenho pouquíssimos vinhos de guarda que sobrevivem a minha curiosidade. Atualmente meu consumo mensal está próximo de 20 garrafas e faço de tudo para beber vinhos diferentes e inéditos sempre que posso.

No futuro pretendo construir uma adega grande, que pode ter até 600 garrafas, mas não pretendo ter mais que 100 ou 150. Um estoque para 6 meses de consumo.

Por outro lado, se você pretende ser um colecionador de vinhos fechados, (eu coleciono vinhos abertos), você pode estruturar uma adega de qualquer tamanho, 100 a 2 mil garrafas. Depende do espaço e do seu bolso. Note que quanto maior for seu estoque, mas organizada e catalogada deve ser sua adega. Já pensou tentar lembrar onde está aquela garrafa que você procura?

Normalmente adegas de grande porte usam etiquetas e os vinhos estão agrupados por país e região. mas você também pode usar uma adega onde os rótulos ficam à mostra, contanto que estejam deitados e em local fresco e sem luz.

Para que este post não fique muito genérico, vamos imaginar uma adega de 50 garrafas, o que poderíamos ter?

Talvez 5 garrafas de guarda, com vinhos fantásticos que você comprou agora e serão guardados por 5 ou 10 anos, estou falando de Bordeaux de primeira linha, ou Tempranilos Espanhois Grand Reserva, ou mesmo Barolos da Itália. Nem pense em guardar vinhos baratos do dia a dia, você vai perder tempo, eles não vão evoluir muito.

Vamos falar dos 45 restantes, podemos ter em 20 brancos e 25 tintos.

4 garrafas de Chardonnay da Borgonha

2 de Chablis.

2 Chardonnays do Loire.

2 Sauternes (vinho de sobremesa de Bordeaux).

1 Riesling da Alemanha e 1 da Nova Zelândia.

1 Sauvignon Balanc do Chile.

2 Chradonnays da Califórnia.

4 Espumantes Nacionais, são ótimos.

1 Champagnes francesa.

Você pode ainda variar com vinhos brancos de Portugal, tipo um bom vinho Verde.

Agora uma sugestão de 25 tintos

1 Barbaresco do Piemonte

2 Barbera D’Alba do Piemonte.

6 Toscanos sendo 2 Chiantis e 2 IGTs e 2 Brunellos de Montalcino.

4 Cabernet Sauvignon do Chile

2 Pinot Noir do Chile

2 Pinot Noir da Borgonha

4 Malbecs Argentonos

2 Syrah, sendo 1 da Nova Zelândia e um da Austrália.

2 Vinhos do Douro com Touriga Nacional e Touriga Franca. alguns tem blends de até 10 cepas.

É uma boa seleção, não acha? Com certeza você vai achar que faltou alguma coisa e com certeza faltou muita coisa boa…

Então opine e conte a todos como você monta a sua adega.

13 Comentários
  1. Hubert Diz

    😉
    lol

  2. Paulo Diz

    A pedido do Peter incluo aqui alguns produtores Italianos para a tal adega…

    Piemonte:
    Bruno Rocca : http://nossovinho.com/?s=bruno+Rocca&x=0&y=0
    Roberto Voerzio: http://nossovinho.com/?s=Roberto+Voerzio&x=0&y=0
    Aldo Coterno: http://nossovinho.com/?s=Aldo+Coterno&x=0&y=0
    Angelo Gaja: http://nossovinho.com/archives/328
    Todos caríssimos, infelizmente.

    Toscana / Chianti
    Desculpe a falta de modéstia mas todos aqui são bons: http://nossovinho.com/archives/tag/chianti

    IGTS da Toscana
    Antinori: http://nossovinho.com/?s=Antinori&x=0&y=0
    Ornellaiia
    Tenuta San Guido

    Também não são vinhos baratos, mas valem cada gota.

  3. Peter Wolffenbü Diz

    Paulo, este assunto me atormenta faz tempo. Muitos amigos vieram me perguntar sobre a real necessidade de uma adega, principalmente, estas modernas e caras, com controle automático de humidade e temperatura. Sempre disse, vais perder dinheiro a não ser se no apartamento ou casa não tiver um local arejado, calmo e sem luz solar direta. Sempre entendi que se tiver um espaço assim, serve até o lavabo, está OK. Posso estar errado, mas a não ser que tenhas que guardar vinhos extremamente caros, raros ou algo assim, estes locais servem ao propósito. Veja o exemplo das caves de espumante da serra gaúcha, ficam ali descansando sem muita frescura. Além do mais a esmagadora maioria dos vinhos são feitos para serem apreciados em poucos anos. Claro como dito no post os franceses, italianos e espanhóis, alguns são feitos para serem bebidos bem depois, aí justifica a tal adega. Eu também levo em conta que um dos grandes prazeres é ir nas lojas de vinho, encontrar pessoas amigas, conversar sobre vinho e ver novidades. Ora, se tenho uma adega completa com mais de 80 garrafas, por exemplo, porque iria numa loja? Como disse, uma das melhores maneiras de conhecer vinho é conversando, ouvindo e comparando e melhor local que uma boa loja não há.

  4. Evandro Silva Diz

    Paulo,
    Este é um assunto que gera muita dúvida e polemica. Um ponto básico muito bem colocado por ti é, que para se definir uma adega depende muito do propósito que a pessoa tem com o vinho e do gosto. Acredito que ai está a chave de tudo, respondendo isso a pessoa consegue montar a adega de acordo com o seu gosto pessoal e tamanho. Queria apenas acrescentar e confirmar algo que foi comentado pelo Pete. Lugar para conhecer vinho é numa loja, conversando, trocando idéias e claro sempre que possível participando de degustações, estas sim são importantes para determinar o gosto de cada um.
    Esta é a primeira vez que entro no seu blog através do enoblogs, gostei!

    abraço,
    Evandro http://confraria2panas.sosblog.com

    1. Paulo Diz

      Evandro
      Obrigado pela visita e comentario no NOSSO VINHO.
      Vou visitar o http://confraria2panas.sosblog.com

      Abraços e feliz 2010

      Paulo

  5. peter wolffenbüttel Diz

    Paulo, esqueci de comparar os vinhos que teria na minha adega ou garrafeira, como se diz em Portugual. Em relação aos Chblis, nada a declarar. Os do Vale do Loire incluiria, necessariamente, um Chenin Blanc, da sub-região de Anjou Samour, um Muscadet – sur lie – Sevrè et Maine, perto de Nates e um Sauvignon Blanc da sub-região de Sancerre. Nos vinhos de sobremesa acrescentaria um Eiswein, aqueles vinhos congelados alemães ou melhor ainda austríacos, néctar de Ganímedes, elaborados quando a uva é colhida a noite na temperatura de -8 a -10º Celsius e esmagadas à mão, perdem água congelada e mantêm a doçura natural da casta, geralmente feitas com Riesling. Quanto aos espumantes nada a acrescentar.Nos Verdes, Muros Antigos (casta Loureiro) e o Soalheiro (Albarinho). Temos que ter um Sauvignon Blanc da região de Marborough, um Cloudy Bay serve. Nos italianos, não me meto, sigo, silenciosamente, a tua trilha. Em relação ao Cabernet Sauvignon chileno, prefiro o Montelig ou um Santa Rita Casa Real, vindo de vinhedos com mais de 90 anos e pé franco.O Syrah, falta um Escorihuela Gacón Pequenas Escolhas, para lá de especial, os Hermanos estão se aprimorando nesta casta. De Portugual falta um ótimo exemplar do Dão, que guardando as devidas proporções lembra um bom Pinot Noir da Borgonha.

    1. Paulo Diz

      Caramba!

      1. Peter Wolffenbü Diz

        Não poderia deixar de fora um grande branco de guarda, o Vat 1, um Semillon australiano feito pela Tyrrells, http://www.tyrrells.com.au.

        Esta casta está meio em baixa pelo mundo, apesar de ser a uva mestra dos famosos Sauternes. Os vinhos não envelhecidos desta casta são, em geral, muito ácidos, lembrando até mesmo uma limonada, mas com o tempo necessário de garrafa, isto é, perto dos 8 a 10 anos adquirem matizes de nozes, aroma de damascos e frutas secas, ficando simplesmente divino. Quem passar perto de um deles compre-o, imediatamente.

    2. Véronique SEMIK Diz

      Caro Peter

      Fiquei muito impressionada com o seu conhecimento sobre vinhos. Meu marido e eu, estamos abrindo uma empresa no Brasil, em São Paulo. Esta empresa ira vender caves subterrâneas. Você pode coloca-la no solo da sua casa e armazenar seu vinho em condições excelentes tais como as caves originais francesas.
      Mande-nos um e-mail caso se interesse. kavconcept1@gmail.com.
      Também pode entrar no nosso site que ainda esta em construção e que espero estara rapidamente em funcionamento.
      http://www.kavconcept.com.br

      Cordialemente

      Véronique SEMIK

  6. Alexandre Frias Diz

    Concordo com o Peter…

    Tenho uma adega pra 28 garrafas, mas tenho um espaço em casa pra construir uma adega bem boa, só que gosto muito de ir às lojas conversar, conhecer novas regiões, enfim experimentar o novo sempre.

    Só de eu pessar em ter 200, 300 garrafas estocadas em casa, me desanima.
    Talvez acabe virando um museu de garrafas fechadas e isso sinceramente não quero.

    Acho que é mais barato deixar meus vinhos estocados nas lojas.
    😉

    1. Véronique SEMIK Diz

      Ola Alexandre

      Estava surfando um pouco nos sites sobre vinhos e fiquei feliz em saber que vc gostaria de construir uma adega na sua casa.
      Eu e meu marido moramos na França e estamos abrindo uma empresa em São Paulo que vende adegas subterrâneas com tecnologia francesa. Voce pode instalar em qualquer parte da sua casa no solo. E uma tecnologia patenteada e unica que poderia talvez lhe interessar.
      Envio-lhe o site que esta em construção mas onde vc podera ver um modelo e se desejar amplas informações você nos manda um e-mail que eu lhe mandarei o portofolio.
      Cordialmente

      Véronique SEMIK

  7. priscila Diz

    Ola eu estou pensando em montar uma adegaComo faço Obrigado ja tenho alguns vinhos.

    1. Paulo Queiroz Diz

      Cara Priscila, na nuvem de Tags desse blog, clique em adega e vai achar dezenas de posts que vão ajudar você.
      Abraços

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.