Chateau Boyd-Cantenac Margaux 2005

A propriedade foi comparada pela família Boyd em 1754 e em 1855 foi reconhecido como Terceiro Cru pela classificação de Bordeaux.

Em 1932 a propriedade foi adquirida pela família Guillernet que estruturou a sua produção em conjunto com o Chateau Pouget. Boud-Cantenac perdeu sua identidade e somente em 1982 a produção foi separada, criando novamente um nível de qualidade ideal para um Troisième Cru. Apenas alguns anos deste vinho são realmente excepcionais nos últimos anos. As melhores safras são: 2005, 1982, 1985, 1995, 2000, 2001, 2003, 2006, por ordem decrescente de pontuação.

Chateau Boyd-Cantenac 2005

A safra de 2005 tem forte presença de carvalho tostado no aroma e muita fruta madura. Cor bastante escura e um vinho encorpado com taninos macios. Um vinho que pode ser guardado além de 2013.

Um vinho produzido basicamente com a Merlot e uma mínima porção de Petit Verdot.

2 Comentários
  1. Peter Wolffenbü Diz

    Bordeuax ou Bordéus como querem os patrícios. Esta região francesa, junto com o Vale do Rhône eram os principais canais de entrada na França. Por ali os gauleses e os mercadores estrangeiros podiam levar suas mercadorias país a dentro ou pelo Ródano chegando a Lyion e Dijon ou pelo Gironde, sendo assim estas regiões conheceram as primeiras videiras da França. Mas, penso que as comparações terminam por aí.

    Bordeaux alcançou a fama internacional, por volta do ano de 1150, quando do casamento de Eleonor de Aquitânia com o futuro rei inglês, Herique II. Assim esta região passou a pertencer a Inglaterra. Abrindo-se um canal de exportação de seus produtos.Portanto a fama internacional de região produtora de vinhos vem de longe. Aqui qualidade, charme e altos preços pagos pelos vinhos andam de mãos dadas.

    Importante destacar três regiões principais, a esquerda do rio Gironde, reina absoluto o Cabernet Sauvignon e a principal sub-região é Pauillac, de onde dizem os especialistas saem os melhores exemplares que esta casta pode produzir. A direita do Gironde, o império é da Merlot e as principais regiões St Emilion e Pomerol A casta secundária, mas não menos importante é a Cabernet Franc, utilizada no corte para a produção dos vinhos da região.

    Mais ao sul Sauternes e seu vinho botritizado, tendo como principais castas a Semillon e a Sauvignon Blanc a espera da neblina e o ataque do fungo para obter a podridão nobre que desidrata aas uvas produzindo um vonho inefável.

    Mas o capítulo dos vinhos de sobremesa merecem um post a parte, porque Late Harvest, vinho botritizado e Icewine, os vinhos congelados, da Alemanha, Áustria e Canadá, são completamente diferentes entre si.

  2. Paulo Diz

    Peter e amigos, para os que gostam das histórias de Bordeaux, assista o vídeo no post… http://nossovinho.com/archives/8906

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More