Le Paradis Cahors Malbec 2001 , o salvador.

Amigo leitor, dou graças por ter escolhido o nome NOSSO VINHO para este blog. Como já escrevi algumas vezes, o segredo de um bom blog é a constância com que gera conteúdo relevante e isso não é fácil.

Mas o NOSSO VINHO conta com uma verdadeira Network de amigos prontos para ajudar este blogueiro em apuros. Hoje por exemplo eu não tenho a menor idéia sobre o que escrever e eis que surge o Salvador. na verdade a Salvadora, a Daniela Sosigan envia para a gente seus comentários sobre o Le Paradis Cahors Malbec 2001.

Achei este vinho bem interessante pelo seguinte… Achei que ele tem equilibrio entre a elegância dos vinhos franceses e a força do Malbec.. indico ele como um vinho inesquecivel.

Quem é amante e defensor dos vinhos franceses, não pode deixar de provar!

Ele tem cor escura um quê de rubi vivo. No sabor algo de amora, ameixa seca com notas de café e amendoa tostata. Depois do primeiro gole vc sente na boca notas suaves de baunilha e canela e algo levemente apimentado.

Espero que vc goste da dica! Vale muito!!!

Beijo!

Daniela Sosigan

A foto da garrafa foi retirada do site da wine.com.br que comercializa o vinho no Brasil.

Le Paradis Cahors Malbec 2001
Le Paradis Cahors Malbec 2001
2 Comentários
  1. peter Diz

    Eu também gostei deste vinho. E para falar a verdade foi o melhor Malbec francês que já experimentei. Cahors berço da casta malbec, coração criollo da casta, como diriam os argentinos, reavivada agora depois do estrondoso sucesso dos malbec argentinos. Mas temos que ter cuidado, pois além da abissal diferença de vinificação, novo mundo (concentrados e alcoólicos) e os velho mundo (álcool moderado e elegantes), poderíamos ter a ideia de que o malbec francês é parecido com o argentino, mas quanta diferença !! Sem prestar muita atenção estaríamos diante de castas completamente distintas. O malbec argentino é aromático, muita fruta vermelha e com doçura natural da casta. Já o francês é mineral, pouco aromático (comparando com o argentino) e mais tânico. Mas enfim é a mesma casta com propostas diferentes. E viva a diversidade, o grande charme do mundo dos vinhos.

  2. Ricardo Diz

    A descrição enviada pela leitora está curiosamente semelhante à feita pelo sommelier do mesmo site que comercializa o vinho, incluindo o erro no "tostata" (risos). Fico contente, de todo modo, por ter adquirido a garrafa há algum tempo, já que a partir das descriçoes que tenho lido parece ser um vinho especial (e com bom potencial de envelhecimento). Parabéns pelo blog.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More