Turriga IGT 1999. Emoção vinda da Sardenha.

José Aurélio tem me surpreendido por sua generosidade e sensibilidade. Na semana passada estava vivendo dias muito especiais, recebendo boas notícias há meses esperadas. O Zé Aurélio, discreto como sempre, soube das notícias e preparou uma surpresa. Entregou-me com um abraço caloroso dois vinhos da Sardenha que sua mulher comprou para ele em uma viagem para a ilha. Me disse:

“Soube pelo Alcir que você recebeu boas notícias hoje e resolvi lhe dar estes vinhos que minha mulher comprou para mim. Disseram a ela que eram os dois melhores vinhos da Ilha”.

Para eternizar este momento de grande amizade, vou escrever um pouco sobre a vinicultura da Sardenha e sobre estes dois presentes do José Aurélio.
A vinicultura na Ilha remonta o período grego, há muitos séculos atrás. É a base da atividade econômica do local.
Um programa da União Européia para reduzir o estoque excessivo de vinhos e melhorar a qualidade, foi responsável por eliminar ¾ das vinhas da Sardenha nos últimos 15 anos. Por conta disso a qualidade subiu muito.
O Primeiro vinho é o Argiolas Isola dei Nuraghi Tourriga 1999. Argiolas é um produtor que há muitos anos encontrou alto padrão de qualidade na Sardenha. Esse Tourriga é o carro chefe da vinícola, um IGT feito com Cannonau e enriquecido com um pouco de Malvasia Nero. O livro Vinhos do Mundo Todo de Jorge Zahar, diz que este IGT, com seu caráter maduro e sabor de geléia envolto em carvalho tostado causariam inveja até a um Chateauneuf-du-Pape.  Segundo o Parker o vinho de 1999 é uma das melhores expressões da ilha, com 92 pontos e bom para beber entre 2005 e 2018. Qualquer dia eu crio coragem e abro essa garrafa, se possível com o José Aurélio. As fotos são do site da Argiolas, exceto a garrfa que foi fotografada por mim.

No próximo post vou falar do outro vinho, o TERRE BRUNE.

Argiolas Turriga 1999 Isola Dei Nuraghi
Argiolas Turriga 1999 Isola Dei Nuraghi

Argiolas Estate
Argiolas Estate
1 comentário
  1. Paulo Diz

    Hoje numa tarde de sol, com o meu irmão Gabriel, sentamos para um lanche com queijo, pão e vinho. O escolhido entre tantos foi esse Turriga. Um vinho maravilhoso, elegante com toques de carvalho. Seus taninos são fortes mas muito bem integrados. Uma preciosidade.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.