Vieris Sauvignon Blanc 2006 VIie de Romans

Preciso confessar que quase nada sei sobre os brancos italianos e foi uma oportunidade interessante quando recebi de presente de um amigo este Sauvignon Blanc de Friuli. A vinícola fica perto de Collio, quase na fronteira com a Eslovênia e a 20 km ao norte do mar Adriático. Uma surpresa magnífica, pois o vinho é fantástico. Muito diferente dos Sauvignons Blancs do Loire. Ele é muito perfumado, flores e pêssego. No paladar é muito equilibrado entre madeira, frutas e acidez. Onde se confirmam no paladar o pêssego. Um vinho de meio corpo, com bela personalidade. 93 Pontos por Robert Parker.

A Azienda Agrícola Vie di Romans, lançou seu primeiro rótulo em 1978, mas a família Gallo possui mais de um século de tradição na vinicultura.

2 Comentários
  1. peter Diz

    Grande escolha. Os melhores brancos e espumantes italianos são produzidos na chamada região do Triveneto ou as três Venezas que compunham o reino de Veneza, Veneza Tridentina -Alto Ádige, Veneto e Veneza Julia,depois chamada de Friuli Veneza Julia. Dali saem pérolas com as castas Pinot Grigio, Tocai Friulano e as internacionais Sauvignon Blanc e Chardonnay. Este que tu mencionas é muito bom. Vale também experimentar os vinhos com a casta Tocai Friulano que nada tem a ver com o Tocai Húngaro são vinhos da turma da elite mundial dos brancos, junto com os Alsacianos e os do vale do Mosela, Saar e Ruwer, na Alemanha, bem como os austríacos.

    Interessante, também, é a casta Sauvignon Blanc, cujo berço é a sub-região do Sancerre no Loire, bem perto de Chablis, centro nevrálgico do Chardonnay, portanto duas castas difundidas intternacionalmente que possuem regiões de origem muito próximas.

    A Sauvignon Blanc, ao contrário da Pinot Noir, tem por característica produzir bons vinhos no mundo todo, claro desde que respeitados os seus caprichos, principalmente que a região seja mais fria que o normal das brancas ou tintas. No Chile vai muito bem no vale da Casablanca, perto de Valparaíso bem perto do Pacífico, recebendo deste o frescor marítimo mesmo no verão ou em Bio Bio, no sul, no início da chamada patagônia chilena. Na Argentina vai bem nos locais altos próximos a Mendonza, lembro, de plano, do Sauvignon Blanc, Estate da Doña Paula. Outro país que vem trazendo bons exemplares é o Uruguai, estes tempos experimentamos o Sauvignon Blanc Don Prospero Pizzorno 2008 – R$ 38,00, na Grand Cru, muito bom mesmo.

    Mas foi adotada pela Nova Zelândia que a tem como casta ícone. Dali saem exemplares fantásticos, dificilmente se compra um Sauvignon Blanc de lá que não deixa saudades. Mas o melhor que experimentei até hoje foi o Cloudy Bay da região de Marlborough, norte da ilha sul. Cor límpida, nariz de furtas cítricas sobressaindo o maracujá, na boca refrescante, acidez no ponto, retrogosto longo e persistente, realmente está entre aqueles vinhos que chego a sonhar de vez em quando, principalmente quando no verão quando vejo os camarões serem fritados ao alho e óleo.

    Espero não estar te incomodando, pois cada vez que tu colocas um post novo e se posso colaborar não consigo ficar calado.

    Um abraço Peter

    1. Paulo Diz

      Peter, ainda bem que você envia seus comentários super completos, ajuda muito o blog.
      Abraços

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.