Almoço português, sem relógio e com muita diversão.

Hoje fui a um almoço daqueles raros e inesquecíveis. O Marcelo ofereceu o almoço e estavam, além do Marcelo, Carlos, Buda, Sergio, Monica, Cynthia, Alcir e eu. Aconteceu no magnífico Bela Sintra em São Paulo. Cheguei um pouco atrasado e todos estavam a escolher os pratos e a beber um Pêra Manca branco. O Sergio como sempre reclamava que só bebe vinho tinto. O Alcir foi logo passando a carta e pedindo para eu escolher. Fiquei sem graça porque na verdade o dono do evento era o Marcelo. Mas como houve consentimento, fui adiante. Esta foi uma das vezes que errei na composição dos vinhos, pois escolhi um Post Scriptum 2004 e coloquei na sequência o Herdade do Grou Reserva 2006. Explico:

v_PostS2002
POST SCRIPTUM

O Post Spriptum estava muito agradável, perfumado e macio, mas senti que o pessoal não se emocionou muito. Enquanto isso, terminamos de escolher os pratos, a maioria pediu Arroz de Pato, eu pedi Bacalhau Nunca Chega e a Cynthia, que não bebia nada, pediu camarões.

Logo no início do almoço propriamente dito, chegou o Herdade do Grou que estava no decanter. Todos ficaram maravilhados e começaram a rir, dizendo que o Grou destruiu o Post Scriptum. Não foi nada disso, o Post Scriptum é um vinho muito bom, fino, sofisticado, mas o Grou é super potente, um vinho de guarda que estava muito jovem e portanto agredia muito mais o paladar de todos. Tinha um forte aroma de especiarias e café, taninos vigorosos e na boca parecia uma orquestra de sabores de frutas maduras. E foi exatamente aí que eu errei. Não conhecia o Grou e subestimei sua potencia, ele nunca poderia seguir o Post Scriptum. Para me redimir, pedi uma segunda garrafa do Grou.

Vinhos a parte, esta turma reúne o que há de melhor em alto astral, inteligência e boa conversa. Preciso estar mais com eles. Obrigado Marcelo, Obrigado a todos.

Espetacular Alentejano
Espetacular Alentejano
3 Comentários
  1. Paulo Diz

    Em tempo, Herdade do Grou é um blend de Alicante Bouschet, Syrah e Touriga Nacional. Envelhece por 12 meses em barricas de carvalho novas.
    Post Scriptum é um vinho do Douro, produzido pela Prats & Symington, blend de Touriga Franca, Touriga Nacional e Tinta Roriz. Passa por 8 meses em barricas de carvalho francês.

  2. Buda Diz

    Paulão,

    Realmente o almoço estava maravilho, alto astral como sempre, rodeado de amigos querido.
    Precisamos sempre, pois é muito bom estar ao lado de pessoas encantadoras e principalmente apaixonadas e felizes.
    Quanto aos vinho, você sabe da minha da adoração pelos protugueses e estava tudo certo e correto, pois se tivessemos invertido as garrafas, garanto que haveria um ar de frustração.
    Prefiro sempre o encerramento em grande estilo e marcante.

    Precisamos agora ir ao ICi Bistrô, mas o Alcir é um furão.

    Abs,

    Buda

  3. Luis Bento Diz

    Se você conheceu agora o 'Grou' vai querer conhecer um outro mais ou menos difícil de encontrar: 'Serros da Mina' tinto 2005 produzido pela Sociedade Agro Pecuária do Oeste Alentejano.
    'Serros da Mina' é da região do Alvito (produzido na Herdade das Barras) num mix de castas Aragonez, Trincadeira, Syrah, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon que depois de estagiar 12 meses em cuba inox e madeira de carvalho conferem um néctar de 14,5º… Absolutamente delicioso.
    Acho que na área de S.Paulo ele estará disponível num restaurante também português, o 'Ora Pois!' na Vila Madalena.
    Abarço desde Lisboa.
    LB

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.