Pinot Noir

O cultivo, o terreno e o clima influenciam muito essa uva que é considerada a mais leve das uvas tintas. Cotes de Nuits na Borgonha é a sua origem e onde o seu preço pode ser exorbitante. A uva também é usada para fazer Champagne, quando misturada a Chardonnay e Pinot Meunier. É raro encontrar um bom Pinot Noir fora da França, mas Chile e Nova Zelândia estão melhorando.  Seus sabores são de morango, framboesa e cereja, com odores de especiarias, trufas, cedro e terra.

A Pinot Noir é injustiçada pelo Alcir, um grande amigo e colaborador do NOSSO VINHO, ele acha que oferece vinho leves demais. Na verdade os vinhos mais finos e elegantes que já tomei são de Pinot Noir, mas continuo achando que devemos desconfiar de qualquer Pinot Noir que não for da Borgonha.
Fonte: Livro Sem Segredos de Matt Skinner
3 Comentários
  1. Neri Cavalheiro Diz

    Já tive a oportunidade de degustar bons exemplares da Pinot Noir (da Borgonha). Do Chile, degustei um, que me chamou muito a atenção e que mantive na memória gustativa: Trata-se do portentoso Amayna, um vinhaço encorpado, estruturado e muito bem vinificado. Vale a pena experimentar!

  2. Renan Mello Diz

    Oi Paulo, sendo pinot noir meu tipo favorito eu tomei muitos,e tenho que concordar com vc que os melhores Pinot Noir vem realmente de Borgonha ,porem sendo apreciador dos vinhos da Nova Zelandia tenho que dizer o Claudy Bay Pinot Noir 2005 e foi um vinho fantastico nao ficando pra tras dos franceses nao tb queria aqui dizer que os Pinot Noir australianos que vem da Tasmania e os da Morning Peninsula em Victoria sao muito bons

    1. Paulo Diz

      Renam, obrigado por participar. O primeiro comentário de 2010.

      Abraços

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.