Vinho Branco

 

Segundo Vincent Gasnier, (O Livro dos Vinhos – Publifolha), os vinhos brancos podem ser classificados em três grandes grupos. Os Brancos Leves e Refrescantes são aqueles que podemos beber no calor, durante o dia ou a noite, bem gelados. O Chablis francês, o Pinot Grigio italiano e o Chenin Blanc estão estre estes. Os que gostam de vinhos mais encorpados podem achar este tipo de vinho um pouco sem graça ou “aguado”, mas é uma questão de hábito e momento. Como um aperitivo no verão, a beira da praia, são uma delícia. Existe um em especial que é de baixíssimo custo e muito agradável: O vinho verde Português, quase sempre ligeiramente frisante, você bebe muito fácil e refresca seu dia.

Outra categoria são os brancos Suculentos e Aromáticos, vinhos vibrantes alguns bastante secos. Um bom exemplo são os Sauvignon Blanc da Nova Zelândia, que tem uma explosão de aromas de flores e frutas cítricas. Nesta categoria estão os Sancerre e Pouilly Fumé franceses, Riesling da Alcácia e Viognier do Languedoc.

A última categoria é dos brancos Encorpados e Opulentos. O Chardonnay da Borgonha é o grande ícone desta categoria. São vinhos de cor amarelo palha, ligeiramente mais escuros que os mais refrescantes. Muitos deles são envelhecidos em barris de carvalho e trazem sabores de pêra e maça madura, lembram ainda avelã, mel e minerais. Os Estados Unidos e o Chile tem bons exemplares de vinhos feitos com a uva Chardonnay, que são amanteigados, suculentos e tem um final bastante persistente. Tente também o Chardonnay da Austália, Nova Zelândia e África do Sul. Se você pesquisar um pouco mais pode encontrar vinhos desta classe de brancos Encorpados e Opulentos com a uva Sémillon, sobretudo no Hunter Valley da Austrália. A maioria destes vinhos podem ser guardados, mas devem ser bebidos a uma temperatura de 9 a 10 graus.

Eu costumo pensar que os vinhos brancos mais acessíveis possuem a melhor relação custo-benefício entre todos os tipos de vinho. Pois com pouco dinheiro, ma maioria dos supermercados e lojas especializadas você encontra um bom vinho branco. Porém, recentemente em uma viagem a Borgonha eu pude ver que os vinhos brancos podem atingir um altíssimo valor, pela raridade e pouca quantidade de sua produção e claro pela qualidade. Mas também pude comprovar que alguns vinhos brancos da Borgonha possam a pior relação-custo benefício, pois são caríssimos e não recompensam o paladar na mesma proporção que atacam o bolso. Se você gosta de uma pechincha, procure os brancos de Portugal que estão com ótimo preço e entregam boa qualidade.

 Abaixo uma lista de vinhos brancos provados e aprovados pelo NOSSO VINHO

  • Muros Antigos Alvarinho 2012
  • Ridge Monte Bello Chardonnay 2011. Santa Cruz Mountains
  • Copacabana Palace Chardonnay Premium 2010.
  • Savary Chablis 1er Cru Fourchaume 2009
  • Pouilly-Fumé Baron de L 2008
  • Puligny-Montrachet Joseph Drouhin
  • Robert Mondavi Sauvignon Blanc Private Selection 2010
  • Coppola Chardonnay Diamond Collection 2011
  • Monte Xanic Chardonnay 2010
  • Chablis da Morin Père & Fils 2009
  • Pio Cesare L’Altro 2009
  • Montes Alpha Chardonnay 2009
  • Esporão Reserva Branco 2009
  • Casa Lapostolle Sauvignon Blanc 2009
  • Danzante Pinot Grigio 2008
  • Solesole Poggio al Tesoro 2009
  • Michele Chiarlo Moscato D’Asti Nivole
  • Guy Saget Vouvray 2007
  • Pouilly Fuissé Louis Latour 2009
  • Capsula Viola Antinori 2006
  • Albariño D.O. Rias Baixas Benito Santos Igrexario de Saiar 2006
  • Attems Pinot Grigio 2008
  • Quinta do Carmo 2008
  • Danie de Wet Chardonnay
  • Alma Negra Viognier 2008
3

Comentários não disponíveis.