Saiba quem são os melhores produtores de Chianti Classico

0 No tags Permalink 0

Chianti, Toscana.

Muitos amigos blogueiros dizem que o NOSSO VINHO é um blog especializado em vinhos italianos. Isto me alegra um pouco, pois tenho uma paixão pela Toscana, mas de fato, apenas 25% dos atuais 1550 posts do NOSSO VINHO falam dos vinhos Italianos.

Para os amantes dos vinhos da Itália, sobretudo da Toscana, é absolutamente imprescindível conhecer os melhores produtores da região de Chianti Classico, que é o coração da área de Chianti, entre as cidades de Florença e Siena, Vou listar aqui os melhores produtores, com base em pesquisa realizada no livro “Chianti and Wines of Tuscany de Rosemary George, edição de 1990, publicado por Sotheby’s, Londres. Nem todos os vinhos você vai encontrar no Brasil, mas pode usar esta listinha em sua viagem para a Toscana. Selecionei apenas os vinhos que já provei e posso opinar.

Castello di Ama

O Castello di Ama fazia parte da linha de defesa Fiorentina na guerra entre Florença e Siena, mas foi destruído no século XV. O Castello di Ama Chianti Clássico é esplendido e você pode encontrar aqui no Brasil, eu recomendo a safra 2006.

Badia a Coltinuono

Já havia escrito sobre eles… Esta vinícula tem uma origem milenar pois era um mosteiro, fundado em 1051, foi propriedade da Vallumbrosan ordem dos monges beneditinos até 1810. No século XV, o “Buon Raccolto” ( “A boa colheita”) Abadia foi amplamente desenvolvida. Posteriormente, foi transformada em uma quinta-moradia, e que mantém a sua função agrícola desde então. O impressionante cedro do Líbano que fica ao lado do mosteiro é de 20 m de altura e tem um tronco com circunferência de 7 metros. A capela é uma das atrações apresentadas na Strada dei Castelli del Chianti. Vá direto para as safras 2006 e 2007.

Carpineto

Outra Fattoria que jea retratei aqui no NOSSO VINHO… Esta empresa foi fundada em 1967 na cidade de Greve in Chianti e é especializada em Chianti Clássico. Os fundadores são Giovanni Saccheti, um enólogo do Vêneto e Antonio Zaccheo. Certa vez Giovani chegou a declarar que a Toscana não precisava da Cabernet Sauvignon.

Luigi Cecchi & Figli

A família Cecchi possui pelo menos 5 empresas produtoras de Chianti, sua história é relativamente recente quando comparada a Antinori e Frescobaldi, começou no final do século XIX. Neste caso eu não vou recomendar um Chianti, mas um Sangiovese Rosso o Spargolo, feito com 100% Sangiovese, de videiras com mais de 40 anos, um vinho de alta densidade que vale a pena experimentar.

Felsina Berardenga

Visitei pessoalmente a Felsina, que tem este nome etrusco que provavelmente significa hospitalidade ou algo assim. Localizada na cidade de Castelnuovo de Berardenga, um lugar de paisagens idílicas. Se você for até lá poderá comprar vinhos com mais de 20 anos de guarda. O Chianti Berardenga é o vinho de entrada e o Fontalloro é o topo em qualidade, um IGT com estilo de Bordeaux.

Castello di Fonterutolli

A Família Mazzei detém esta propriedade desde 1435 e Fonterutolli está imensamente ligada a história de Chianti e à disputa entre Florença e Siena. Eles produzem dois Chiantis Clássicos, com pouca criatividade para nomes. O Primeiro vinho é o Castello di Fonterutolli e o segundo é o Fonterutolli. Eles ainda produzem outro vinho notável, o Siepi.

Fontodi

Fontodi fica em uma colina perto da cidade de Panzano. A propriedade originalmente era dos Lombardes e desde 1968 foi adquirida pela família Manetti. São eles que produzem o Flaccianello, um dos melhores supertoscanos que há.

Isole e Olena

Um dos melhores produtores da região, Paolo de Marchi é originário da cidade de Turin. A família comprou a propriedade na Toscana nos anos de 1950. O Chianti Classico é sensacional, mas o IGT Cepparello ultrapassa limites.

Montevertine

Montevertini fica nas colinas atrás da cidade de Radda e nasceu como um hobby de Sergio Manetti em 1966, com apenas 2 hectares. Hoje em dia é um produtor de renome e a propriedade é dirigido pelo enteado de Manetti, o alemão Klaus Reimitz. É de lá que nasce o exuberante IGT Le Pergole Torte.

Castello dei Rampolla

A propriedade existe desde o século XIV, mas a produção comercial foi iniciada por Alceo di Nápole em 1973. Eles tem uma propriedade de 34 hectares, metade situada na província de Florença e a outra metade na província de Siena, dividida pelo rio Pesa. Seus vinhos são muito aclamados pela crítica e por mim também. Destaco o Sammarco.

San Giusto a Rentennano

San Giusto a Rentennano é propriedade da família Martini di Cigala desde 1914. A propriedade tem 160 hectares, a 270 metros de altitude, onde se planta Oliveiras e Videiras, sempre utilizando metodos manuais e sistema orgânico. Entre vários rótulos, nosso destaque é o Percarlo, um super-torcano estupendo, feito com 100% Sangiovese, fermentado por 35 dias e envelhecido por 22 meses em barricas de carvalho francês.

 

0

Não há comentários

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *